Loki e o Parsifall

Um dialogo entre o Loki e Parsifall

Resposta — 28 de outubro de 2016

Resposta

solar_sun_1653022c

como um grave que atravessa a música
provocando um arrepio
o primeiro mergulho de primavera num rio
ou tempestade a se formar no horizonte
a violência do mar bravio a noite
tranquilidade d’agua na fonte

aceleração brusca, não esperada
ou frear de reflexo e susto
nada explica a fascinação ou desamparo
as comparações possíveis são vazias
e faltam profundidade
para descrever como seria
uma queda livre no espaço

XV — 7 de outubro de 2016

XV

taylor

So it’s gonna be forever, or it’s gonna go down in flames
You can tell me when it’s over, if the high was worth the pain
Got a long list of ex-lovers, they’ll tell you I’m insane
Cause you know I love the players and you love the game
Cause we’re young and we’re reckless, we’ll take this way too far
It’ll leave you breathless, or with a nasty scar
Got a long list of ex-lovers, they’ll tell you I’m insane
But I’ve got a blank space, baby, and I’ll write your name

Eu tenho uma imagem que não condiz internamente
fixei ela no meu espelho com uma camada de verniz
de forma a esconder o que sou, poeticamente
nas camadas de loucura e solidão que vem como onda
deixa eu me perder na imensidão de volúpia e desatino
a possibilidade de sonhar assim novamente assombra

Como estrelas solares cruzando galáxias, sem medo de destino
passado (tanto meu, quanto o seu) pouco importa
o tempo é curto demais para outras forças que não nosso desejo
pois como o universo é muito grande, certas escolhas não tem volta
apesar de parecer que não é possível errar, pois você é tudo que vejo

Me despi do que engana, pois sei que não preciso
de proteção pra dizer e talvez até repetir o que sinto
nem mesmo de me mostrar, frágil, inconsistente, indeciso
talvez seja tolice esperar amor de forma igual
pois ser seu é uma vontade constante, tendendo ao infinito
vácuo roubando o ar em suspiros, sem se preocupar com final

Como estrelas solares cruzando galáxias, sem razão pra temer
passado (tanto meu, quanto o seu) não fará nenhuma diferença
o tempo é curto demais para outras forças que possam nos conter
pois o universo é muito grande sem sua presença
apesar de parecer que não é possível errar,
assumiria todos os riscos, colisões e machucados
Pra tentar!

Flutuação — 5 de outubro de 2016

Flutuação

shipwreck

 

It might not be the right time
I might not be the right one
But there’s something about us I want to say
Cause there’s something between us anyway

Nada,
como o ato de boiar num mar inconsciente,
e se esforçar por saber
que o presente
é menos estável que água

Nado,
como uma braçada contra corrente,
e gosto salgado
de contra a vontade
perceber que viverá afogado

Nado,
como barco naufragado,
que sem opção
passa da segurança ao perigo
sendo assim abandonado

Nada,
como auto percepção
de oceano por todos os lados
anti Ulisses de si mesmo
por Cila e Caríbdis  devorado

Paradoxo — 27 de setembro de 2016

Paradoxo

126452-i-wanna-be-yours

 

Let me be your ‘leccy meter
And I’ll never run out
Let me be the portable heater
That you’ll get cold without
I wanna be your setting lotion
Hold your hair in deep devotion
At least as deep as the Pacific Ocean
I wanna be yours

Secrets I have held in my heart
Are harder to hide than I thought
Maybe I just wanna be yours
I wanna be yours
I wanna be yours

Paradoxo

Poderia corrigir o tempo passado
para ser entregue como presente

E também iria corrigir o espaço
para estar próximo, bem localizado

Talvez corrigir a matéria
e ser um objeto inanimado

pois que serve
a hora,  forma e lugar certo
sem você ao lado

Solilóquio — 26 de setembro de 2016

Solilóquio

lonliness_by_ecriminall

There’s a little black spot on the sun today
It’s the same old thing as yesterday
There’s a black hat caught in a high tree top
There’s a flag pole rag and the wind won’t stop
King of Pain – Police

me diz
fiz
entre passos
uma valsa
que danço
sozinho

e a noite
céu
que vejo
uma estrela
na cadência
embaraçada

e um esconde
rijo
no contrapasso
o desejo
de perder
a estrada

Invocação — 20 de setembro de 2016

Invocação

amber_sunset_by_zakariah

Dava tanta coisa, dava nó de nós
De nós, de eu
Caeu – Liniker & Os Caramelows

misterioso cheiro de âmbar
a arca trazida de Sabbah
tua beleza invocará

o retumbar do mantra vibrando
transforma e acaba solidificando
aquilo que não é e será

barco ao encontro do destino
batendo em frente o infinito
rápido como esse chamado será

Midweek Blues — 14 de setembro de 2016

Midweek Blues

smiths

So tell me how long
Before
The last one
Last Night I Dreamt That Somebody Loved Me – The Smiths

Feitos de bolhas de sabão
como todo amor,
estão quase livres a voar
esperando a colisão com o real
ou desvanecer no  ar

Feitos de sonhos soltos
como toda a paixão,
estão no verge de se realizar
esperando o mais leve estremecer
pra ser esquecido ao acordar

Ao lugar dos desejos insatisfeitos
dos livros que não foram escritos
as memórias não vividas dançam
junto aos sentimentos escondidos
ao som das caixas de músicas quebradas
a vista do improvável e do invisível

Queda Livre — 12 de setembro de 2016

Queda Livre

elastic

I’ve got a thick skin and an elastic heart
But your blade it might be too sharp
I’m like a rubber band until you pull too hard
(Sia – Elastic Heart)

Uma respiração antes de estar afogado
fechar os olhos antes da batida
quanta escolha e decisão é possível?

todo acidente estará escrito?
ou é efeito vindo da intensidade
onde estava seu sinal de perigo?

agora, sou eu de novo em queda livre
esperando cair com velocidade e sem defesa
ou ao errar o chão, sorrindo, voar de surpresa

Repartições — 17 de junho de 2016

Repartições

f8q8e

 

 

I eat my dinner in my bathtub
Then I go to sex clubs
Watching freaky people getting it on
It doesn’t make me nervous
If anything, I’m restless
Yeah, I’ve been around and I’ve seen it all
Tove Lo – Habits

 

Eu sempre começo tropeçando
entre palavras e bebidas,
outra vez estando perdido
na neblina densa, sem graça
que produz a própria rotina
dessa vida devassa

por mais que a vertigem me guie
aos meus próprios fetiches
E quanto mais desvario
girando como um dervixe
caio em meu próprio vazio

e não existe fuga
do reflexo sem alma que me encara
e não existe desculpa
que possa fingir que me acalma

essa queda em espiral
é como acordar de pesadelos
repetição, rotação e ritual
cada refeição como cinzas
cada drink desespero

 

505 — 14 de abril de 2016

505

505

 

tudo familiar,
a sensação do carpete pela chuva molhado
cheiro de temperos na cozinha espalhado,
gatos e cachorros disputando seu lugar

e essa impressão
que bastaria um jantar com todos a mesa
uma música alta pra fazer a limpeza
e sentamos todos assistindo televisão

se misturam com memória
as casas que amei e não eram minhas
e quando parti empacotando o que tinha
endereços que nas cartas contam histórias

tudo deslocado
por saber que onde vivo, não é onde moro,
e [inconscientemente] estar sempre procurando seu colo
será que algum dia deitarei do seu lado?